O Panzerfaust é uma família de lançadores de granadas antitanque desenvolvidos na Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial. Ele foi projetado para fornecer uma arma antitanque individual de baixo custo para os soldados. O nome “Panzerfaust” significa “punho blindado” em alemão.

Panzerfaust em uma embalagem original da segunda guerra mundial.
Panzerfausts em uma embalagem original da segunda guerra mundial.

O lançador de foguetes era impulsionado por uma granada de carga em forma e podia derrubar até mesmo os tanques mais bem protegidos. Foi amplamente utilizado pela Wehrmacht, Waffen SS e outras forças alemãs durante a guerra. Ele influenciou diretamente o design do RPG-2 desenvolvido pela União Soviética após a guerra. O atual Bundeswehr também utiliza um lançador de foguetes chamado Panzerfaust 3.

Acesse também: Pistola Luger P08: Sua História e Características

Principais pontos

  • Ele foi um lançador de foguetes antitanque utilizado pela Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial.
  • Ele era impulsionado por uma granada de carga em forma e possuía um poder de fogo capaz de derrubar tanques bem protegidos.
  • Seu nome significa “punho blindado” em alemão.
  • O Panzerfaust influenciou o desenvolvimento de outros lança-foguetes portáteis, como o RPG-2 soviético.
  • Atualmente, o Bundeswehr utiliza uma versão moderna chamada Panzerfaust 3.

Princípio de Operação

Diferente de um lança-foguetes convencional, o Panzerfaust não utiliza um foguete para impulsionar o projétil. Em vez disso, a granada é impulsionada pela combustão inicial de sua carga, semelhante a uma bala ou granada. Essa combinação de carga oca e impulso inicial confere um poder de penetração significativo, capaz de derrubar até mesmo os tanques mais bem protegidos.

EspecificaçõesPanzerfaust 30 (klein)Panzerfaust 30 (groß)
Peso3,2 kg6 kg
Comprimento Total985 mm1.050 mm
Diâmetro95 mm150 mm
Velocidade do Projétil28 m/s30 m/s
Escopo Efetivo30 metros60 metros
Desempenho de Penetração140 mm200 mm

Para garantir a estabilidade do voo, ele possui aletas de metal presas à cauda do projétil. Essas aletas ajudam a estabilizar a trajetória da granada enquanto ela percorre o ar em direção ao alvo. Apesar de sua velocidade relativamente baixa em comparação com outros projéteis, ele é capaz de atingir seu objetivo com precisão, graças a essas aletas estabilizadoras.

“O Panzerfaust é uma arma antitanque eficaz e de baixo custo que utiliza o princípio do cano sem recuo para oferecer poder de fogo aos soldados. Sua simplicidade e eficácia tornaram-no uma arma popular durante a Segunda Guerra Mundial.”

Além disso, ele foi projetado para ser econômico e fácil de operar. Com um mínimo de treinamento, um único soldado pode utilizar o lançador de foguetes com facilidade. Essa facilidade de uso e a capacidade de fornecer uma arma antitanque portátil foram características importantes para o sucesso e a popularidade dele no campo de batalha.

Desenvolvimento do Panzerfaust

O desenvolvimento teve início em 1941, com a criação do projeto Panzerwurfgranate 41. No entanto, esse projeto não obteve sucesso devido à carga insuficiente e ao perigo de se aproximar demais dos tanques inimigos para lançá-lo manualmente. Posteriormente, a empresa HASAG desenvolveu o Faustpatrone 42, que se tornou o ancestral direto do Panzerfaust.

Produção do Panzerfaust
Representação da Produção do Panzerfaust.

O Faustpatrone 42 era um canhão sem recuo operado por um único homem, projetado para lançar um projétil de carga oca. Essa nova abordagem resolveu os problemas encontrados no projeto anterior, permitindo um lançamento mais seguro e eficaz. Com base nessa versão aprimorada, o Panzerfaust passou por várias iterações, como o Panzerfaust 30 (klein) e o Panzerfaust 30 (groß), cada um com diferentes alcances e poder de penetração.

O desenvolvimento contínuo mostrou a determinação da Alemanha em buscar soluções individuais de baixo custo para combater a ameaça dos tanques inimigos durante a Segunda Guerra Mundial. Com seu design inovador e eficácia comprovada, o Panzerfaust se tornou uma arma icônica que deixou um legado duradouro no campo da artilharia antitanque.

VersãoAlcance Efetivo (m)Desempenho de Penetração (mm)
Panzerfaust 30 (klein)30140
Panzerfaust 30 (groß)30200
Panzerfaust 6060200
Panzerfaust 100100200

Desenvolvimento do Projétil de Carga Oca

A carga oca é uma tecnologia que permite que um projétil perfure a blindagem do tanque inimigo e cause danos significativos. A carga oca funciona através de um mecanismo de jato de metal fundido, que direciona a energia para dentro do tanque, aumentando as chances de penetração.

Os projetistas alemães foram pioneiros nessa tecnologia durante a Segunda Guerra Mundial, desenvolvendo ogivas de carga oca para o lançador. Esses projéteis eram altamente eficazes contra a maioria dos tanques da época, permitindo aos soldados antitanques alemães enfrentar com sucesso os veículos blindados inimigos.

Quer se aprofundar ainda mais e conhecer tudo sobre a segunda guerra mundial? Recomendamos a compra do livro ‘Box Memórias da Segunda Guerra Mundial‘, de Winston Churchill. A obra é ganhadora do Prêmio Nobel de Literatura em 1953. Clique no link abaixo e confira!

Especificações do Panzerfaust

EspecificaçãoValor
Peso3,2 kg (Panzerfaust 30 klein)
Comprimento Total985 mm (Panzerfaust 30 klein)
Diâmetro do Projétil95 mm (Panzerfaust 30 klein)
Velocidade do Projétil28 m/s (Panzerfaust 30 klein)
Escopo Efetivo30 metros (Panzerfaust 30 klein)
Desempenho de Penetração140 mm (Panzerfaust 30 klein)

Como ilustrado na tabela acima, ele tinha um peso relativamente baixo, o que facilitava o transporte e o uso por um único soldado. Apesar de sua velocidade de projétil ser baixa em comparação com outras armas antitanque da época, o Panzerfaust era capaz de penetrar blindagens de até 140 mm, tornando-o uma arma eficaz contra os tanques inimigos.

O Panzerfaust em Combate

Ele se tornou uma arma amplamente popular entre os soldados alemães durante a Segunda Guerra Mundial devido ao seu poder de penetração contra tanques inimigos. Sua eficácia em combate era reconhecida pelas tripulações dos tanques, que temiam ser alvejadas por esse lança-foguetes portátil. A pequena pegada do Panzerfaust permitia seu uso em diversos cenários de batalha, incluindo espaços apertados e urbanos.

Soldados Alemães com Panzerfausts durante a Segunda Guerra.
Soldados Alemães com Panzerfausts durante a Segunda Guerra.

Apesar de suas vantagens, o Panzerfaust também tinha algumas desvantagens. Seu alcance efetivo limitado de cerca de 30 metros dificultava o combate à distância, especialmente em cenários de guerras urbanas, onde o combate ocorria em ruas estreitas e construções próximas. Além disso, o disparo produzia uma chama de três metros que saía do tubo, revelando a posição do atirador e comprometendo seu sigilo durante o combate.

Outra desvantagem é que ele era uma arma de uso único. Depois de ser disparado, o tubo não podia ser recarregado. Os soldados eram instruídos a recuperar os tubos usados sempre que possível, para serem reciclados e reutilizados. Isso garantia que os recursos fossem aproveitados ao máximo, mas também exigia que os soldados se expusessem para recuperar os tubos em meio ao combate.

Produção do Panzerfaust

A empresa Hugo Schneider AG (HASAG) foi responsável pelo desenvolvimento e produção do Panzerfaust em sua fábrica em Leipzig-Schönefeld. Uma parte adicional da produção ocorreu em uma fábrica localizada no campo de concentração de Schlieben. A produção em massa do Panzerfaust começou em outubro de 1943. A HASAG também desenvolveu versões recarregáveis do Panzerfaust, como o Panzerfäuste 150 e 250, mas essas versões não entraram em serviço antes do fim da guerra.

Fábrica da HASAG em Częstochowa na Polonia ocupada.
Fábrica da HASAG em Częstochowa na Polonia ocupada.

A fábrica de Leipzig-Schönefeld foi escolhida pela HASAG devido à sua localização estratégica, que permitia fácil acesso a matérias-primas e transporte eficiente. O local também fornecia mão de obra abundante, já que muitos trabalhadores eram recrutados dentre os prisioneiros do campo de concentração de Schlieben. Essa prática levantou questões éticas e morais sobre a exploração dos prisioneiros para a produção de armamentos.

LocalData InícioData FimQuantidade Produzida
Leipzig-SchönefeldOutubro de 1943Maio de 19451.000.000
Campo de Concentração de SchliebenOutubro de 1944Maio de 1945300.000

O Panzerfaust foi produzido em larga escala, com mais de 1 milhão de unidades fabricadas na fábrica de Leipzig-Schönefeld e cerca de 300.000 unidades produzidas no campo de concentração de Schlieben. Essa produção em massa foi possível devido à simplicidade do design e à facilidade de fabricação. No entanto, a produção também envolveu a exploração de mão de obra de prisioneiros, levantando preocupações éticas sobre os métodos empregados pela HASAG.

Após a Segunda Guerra Mundial, a produção do Panzerfaust foi encerrada. No entanto, o legado dessa arma antitanque ainda é evidente nos desenvolvimentos posteriores, como o RPG-2. Ele foi uma contribuição significativa para a história das armas de infantaria e permanece como um símbolo das inovações e desafios enfrentados durante o conflito.

FAQ

O Panzerfaust era uma arma antitanque eficaz?

Sim, ele era uma arma antitanque altamente eficaz, capaz de derrubar até mesmo os tanques mais bem protegidos.

Quais eram as principais desvantagens do Panzerfaust?

Ele tinha um alcance limitado e uma chama de três metros que saía do tubo no momento do disparo, o que dificultava seu uso em ambientes confinados.

Quantos modelos diferentes de Panzerfaust foram desenvolvidos?

Foram desenvolvidos vários modelos diferentes, como o Panzerfaust 30 (klein), 30 (groß), 60 e 100.

Os soldados eram instruídos a recuperar os tubos usados do Panzerfaust?

Sim, os soldados eram instruídos a recuperar os tubos usados sempre que possível, para reciclagem.

O Panzerfaust foi influente no desenvolvimento de outras armas antitanque?

Sim, ele teve um legado significativo na história das armas antitanque e influenciou o design de armas como o RPG-2 desenvolvido pela União Soviética após a guerra.

Deixe uma reação

Engraçado
0
Feliz
0
Amei
0
Interessante
0
Carlos César
Apaixonado por história, leitor assíduo de livros e programador front-end.

    You may also like

    Leave a reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *